Universidade de Coimbra | www.uc.pt

link voltar a UC.PT Universidade de Coimbra
Imagem de identificação do subsite Imagem de apresentação do subsite
Imprimir Tamanho de Letra Normal Aumentar Tamanho da Letra Aumentar Tamanho da Letra

Carlos Manuel Bernardo Ascenso André

Nome

Carlos Manuel Bernardo Ascenso André

Grau

Agregação

Email

caa@ci.uc.pt

Categoria Profissional

Professor Associado com Agregação

Áreas de Investigação

Línguas e Literaturas Clássicas; Renascimento e Humanismo

cmbaandre
Publicações
  • Carlos Ascenso André, “Entre o romance de cavalaria e a epopeia”: recensão crítica de Ariosto, Orlando furioso (trad. Margarida Periquito), Lisboa, Cavalo de Ferro, 2007: Público / Ípsilon 11 de Janeiro de 2008.
  • Carlos Ascenso André, “Roma em cem páginas”: recensão crítica de Pierre Grimal, História de Roma, Lisboa, Ed. Texto & Grafia, 2008: Público / Ípsilon 13 de Junho de 2008.
  • Carlos Ascenso André, “Rajadas de memória”: recensão crítica de Cristóvão de Aguiar, Braço tatuado, Lisboa, D. Quixote, 2007: Jornal de Letras 23 Abril – 6 Maio 2008.
  • Carlos Ascenso André, “Prefácio” a Orlando Cardoso, Terra de pinhal e mar. Leiria, Arquivo, 2008, 9-11.
  • Carlos Ascenso André, “O impossível retorno do poeta exilado”: Latitudes, Cahiers Lusophones 33 (Septembre 2008) 14-17.
  • Carlos Ascenso André, “Ovídio no exílio: o poeta à defesa e a defesa do poeta”: Ovídio: exílio e poesia. Actas do Colóquio no bimilenário da “relegatio”, Centro de Estudos Clássicos, Lisboa – 2007, Junho, 21. Lisboa, Centro de Estudos Clássicos, 2008, 55-68.
  • Carlos Ascenso André, “Humanistas portugueses e cidadãos do mundo, na Europa das Letras”: Latineuropa: Latim e cultura neolatina no processo de construção da identidade europeia. Actas do Colóquio Internacional, Coimbra, 9-10 de Novembro de 2006. Coimbra, Faculdade de Letras – Instituto de Estudos Clássicos – Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos, 2008, 281-294.
  • Carlos Ascenso André, Fotobiografia (im)possível: Francisco Rodrigues Lobo, 1574-1621. Leiria, Imagens & Letras, 2008.
  • Carlos Ascenso André, O poeta no miradouro do mundo: leituras camonianas. Coimbra, Centro Interuniversitário de Estudos Camonianos, 2008
  • Carlos Ascenso André, “A poética do exílio”, in António Lopez Eire, Maria do Céu Fialho e Maria Luísa Portocarrero (coord.), Poética(s): em diálogo com Aristóteles, Lisboa, Ariadne, 2007, 189-214.
  • Carlos Ascenso André, “Prefácio”, in Paula Lemos, Vidas de carvão: as carvoeiras do Pinhal do Rei, Leiria, Jorlis, 2007, 9-11.
  • Carlos Ascenso André, Jean Everaerts (Janu Segundo), Mil vezes mil beijos: o livro dos beijos, Introd., trad. e notas de Carlos A. Martins de Jesus, Coimbra, Minerva, 2007. Revisão da tradução.
  • Carlos Ascenso André, “A mestria do poeta lírico: notas sobre Horácio (3)”, BEC 47 (Jun. 2007) 31-36.
  • Carlos Ascenso André, “A mestria do poeta lírico: notas sobre Horácio (4)”, BEC 48 (Dez. 2007) 51-55.
  • Carlos Ascenso André, “Ausência, sedução e engano: Helena e Páris, ao serviço da pedagogia ovidiana do amor”: O mito de Helena de Tróia à actualidade. Vol. I (ed. J. V. Bañuls et al.). Coimbra, Universidade de Coimbra, Università di Foggia, Universidad de Granada, Universitat de Valencia, 2007, 283-298.
  • Carlos Ascenso André, “Breves notas pessoais sobre a competitividade da região de Leiria”, Desafios 29 (Agosto 2007) 32-33.
  • Carlos Ascenso André, “Um livro de bordo da mitologia”, recensão crítica de Ovídio, Metamorfoses, Trad. Paulo Farmhouse Alberto, Lisboa, Cotovia, 2006, in Público / Ípsilon 17 Agosto 2007, 40-42.
  • Carlos Ascenso André, “Ao contrário de Virgílio: reflexões sobre o feminino n’Os Lusíadas”, Veredas 6 (Porto Alegre, 2006) 33-50.
  • Carlos Ascenso André, «A mestria do poeta lírico: notas sobre Horácio (2) - Ode 2. 18», Boletim de Estudos Clássicos. 46 (Dezembro de 2006) 51-56
  • Carlos Ascenso André, Caminhos do amor em Roma: sexo, amor e paixão na poesia latina do séc. I a.C, Lisboa: Livros Cotovia, 2006
  • Carlos Ascenso André, “Ao contrário de Virgílio: reflexões sobre o feminino n’Os Lusíadas”: Veredas: Revista da Associação Internacional de Lusitanistas 6 (2006) 33-50.
  • Carlos Ascenso André, «A mestria do poeta lírico: notas sobre Horácio (1)», Boletim de Estudos Clássicos. 45 (Junho de 2006) 43-49
  • Carlos Ascenso André, Ovídio. Arte de amar. Introdução, tradução e notas. Lisboa: Livros Cotovia, 2006
  • Carlos Ascenso André, «Entre o despeito e o respeito: a mulher em Ovídio», Humanitas. 58 (2006) 99-117
  • Carlos Ascenso André, «Memória do massacre», Região de Leiria. (21 de Abril de 2006)
  • Carlos Ascenso André, «Super flumina: as redondilhas camonianas e outras paráfrases quinhentistas», Revista camoniana. 3ª série, 17 (2006) 15-37
  •  Carlos Ascenso André, Ovídio, Amores. Introdução, tradução e notas, Lisboa: Livros Cotovia, 2006
  • Carlos Ascenso André, Ovídio, Arte de amar. Introdução, tradução e notas, Lisboa: Livros Cotovia, 2006
  •  Carlos Ascenso André, «Não é o corpo que peca, mas a alma: Ovídio e a infidelidade», A Antiguidade Clássica e nós: herança e identidade cultural. Braga. (2006) 187-205
  •  Carlos Ascenso André, «Humanidades e empresas: um falso problema», Biblos. 3 (2005) 37-53
  •  Carlos Ascenso André, «Super flumina: as redondilhas camonianas e outras paráfrases quinhentistas», Revista camoniana 3ª série. 17 (2005) 15-37
  •  Carlos Ascenso André, "Três tempos de uma só ilha" in Homenagem a Cristóvão de Aguiar, 40 anos de vida literária. Coimbra, 2005. P. 125-129, 137-139, 159-160
  •  Carlos Ascenso André, «Tanto de meu estado me acho incerto: contradições do amor, de Catulo a Ovídio», Ágora. Estudos Clássicos em Debate. 7 (2005) 37-63
  •  Carlos Ascenso André, "Um judeu português nos caminhos do mundo" in Humanismo para o nosso tempo. Homenagem a Luís de Sousa Rebelo. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004
  •  Carlos Ascenso André, "A utilização das línguas portuguesa e espanhola na defesa da propriedade industrial e intelectual" in Actas do II Fórum Iberoamericano sobre Inovação, Propriedade Industrial e Intelectual e Desenvolvimento. Lisboa, 2004. P. 67-75
  •  Carlos Ascenso André, "Discurso Inaugural" in D. Afonso, IV Conde de Ourém, e sua época. Congresso Histórico (Ourém, 6 a 8 de Novembro 2003). Actas.. Ourém, 2004. P. 17-20
  •  Carlos Ascenso André, «Discurso de Encerramento», D. Afonso, IV Conde de Ourém, e sua época. Congresso Histórico (Ourém, 6 a 8 de Novembro 2003). Actas. Ourém. (2004) 413-418
  •  Carlos Ascenso André, «Originalidade camoniana das redondilhas «Sobre os rios»: algumas interrogações», A primavera toda para ti: Homenagem a Hélder Macedo. A tribute to Hélder Macedo. Lisboa. (2004)
  •  Carlos Ascenso André, "Os cercos de Diu no relato de três humanistas: Góis, Teive, Diogo Pires" in Congresso Internacional Damião de Góis na Europa do Renascimento. Actas. Braga: Publicações da Faculdade de Filosofia, 2003. P. 373-399
  •  Carlos Ascenso André, Teias, poemas, Lisboa, 2001
  •  Carlos Ascenso André, "O De Gestis de Anchieta enquanto documento cultural" in Actas do Congresso Internacional Anchieta em Coimbra, Colégio das Artes da Universidade de Coimbra (1548-1998). Porto: Fundação Eng. António de Almeida, 2000:3 vols. P. 265-282
  •  Carlos Ascenso André, "Uma voz emblemática no século XVI: Diogo Pires, judeu errante e português degredado" in I Colóquio Internacional O Património Judaico Português — The Portuguese Jewish Heritage, Actas. Lisboa, 1999. P. 39-55
  •  Carlos Ascenso André, Entre linhas: fragmentos de quotidiano com espaço e tempo, Leiria: Jorlis, 1999
  •  Carlos Ascenso André, «When the roots become the song: exiled poets and poetry of exile in the Portuguese Renaissance», Journal of the Institute of Romance Studies. 5 (1997) 81-97
  •  Carlos Ascenso André, «Quando as máscaras caíram: Ovídio e as amizades frustradas», Classica – Boletim de Pedagogia e Cultura. 21 (Março de 1996) 85-93
  •  Carlos Ascenso André, «"A escrita e o espaço ou o espaço da escrita", recensão a António da Silva Gordo, A escrita e o espaço no romance de Vergílio Ferreira. Porto, Porto Editora, 1995», Jornal de Leiria. (21 de Dezembro de 1995) 20
  •  Carlos Ascenso André, "A Santa Sé e o Infante D. Henrique, tradução do latim e resumos" in Documentação henriquina. Maia: Castoliva Editora, Lda, 1995. P. 123-237
  •  Carlos Ascenso André, "Meios audiovisuais no ensino da sintaxe latina: as orações infinitivas" in As Línguas Clássicas: Investigação e Ensino - II. Actas. Coimbra, 1995. P. 115-128
  •  Carlos Ascenso André, "Entre vales e outeiros: um rosto de Ourém e suas gentes" in Ourém na história e nas letras. Ourém, 1995. P. 7-44
  •  Carlos Ascenso André, «Trilhos de evasão. Estratégia retórica de Séneca, nas consolações Ad Heluiam e Ad Polybium», Humanitas. Coimbra. 47 (1995) 593-616
  •  Carlos Ascenso André, Diogo de Teive, Relação das proezas levadas a efeito pelos Portugueses na Índia, junto de Diu, no ano da nossa salvação de 1546, tradução e edição fac-similada, Lisboa, 1995
  •  Carlos Ascenso André, «Camões, na esteira de Ovídio: a construção poética do degredo», Oceanos. 23 (1995) 84-92
  •  Carlos Ascenso André, "Entre o degredo e a raiz: um percurso reincidente na literatura portuguesa" in Actas do 4º Congresso da Associação Internacional de Lusitanistas. Lisboa: Lidel, 1995. P. 301-312
  • Carlos Ascenso André, «Breve reflexão sobre a situação actual dos estudos lusitanistas no mundo», Hispania. 77: 3 (Setembro de 1994) 562-564
  •  Carlos Ascenso André, «Helena Marques, A deusa sentada. Lisboa, Círculo de Leitores e Edições D. Quixote, 1994”,», Jornal de Leiria. (6 de Abril de 1995) 30
  •  Carlos Ascenso André, "Terra de poetas: Leiria e a literatura de outrora" in II Colóquio sobre a História de Leiria e da sua região. Actas. Leiria: Câmara Municipal, 1995:vol. 1. P. 17-38
  •  Carlos Ascenso André, "O apelo das raízes na poesia do exílio da Marquesa de Alorna" in O Rosto Feminino da Expansão Portuguesa — Congresso Internacional — Lisboa, 1994. Actas. Lisboa, 1995:2. P. 191-202
  •  Carlos Ascenso André, «Diogo Pires, humanista europeu e cidadão português», A Cidade de Évora, II série. 1 (1994-95) 259-274
  •  Carlos Ascenso André, «Carta de Poggio Bracciolini ao Infante D. Henrique (trad. do latim)», Oceanos. 17 (1994) 14
  •  Carlos Ascenso André, «Ignacio OSORIO ROMERO, El sueño criollo: José António de Villerías y Roelas», Humanitas. Coimbra. 46 (1994) 445-448
  •  Carlos Ascenso André, «Victor JABOUILLE, José Pedro SERRA, Frederico LOURENÇO, Paulo ALBERTO, Fernando LEMOS, Mito e literatura. Lisboa, Editorial Inquérito, 1993», Humanitas. Coimbra. 46 (1994) 440-441
  •  Carlos Ascenso André, «"Um olhar sobre um cais": texto crítico sobre Vergílio Ferreira, Na tua face. Lisboa, Bertrand, 1993», Letras & Letras. (Abril de 1994) 26-27
  •  Carlos Ascenso André, Latim II (Língua e cultura), Lisboa: Universidade Aberta, 1994
  •  Carlos Ascenso André, «Consulta de un jurisconsulto antiguo. Versión de Aurelia Vargas Valencia», Humanitas. Coimbra. 46 (1994) 439
  •  Carlos Ascenso André, «Orlando Cardoso, O espanto da lua. Lisboa, Escritor, 1993», Jornal de Leiria. (22 de Dezembro de 1994) 27
  •  Carlos Ascenso André, «O poeta e a filosofia: importância de Joaquim de Carvalho na indagação do espírito filosófico de Camões», Biblos. 70 (1994) 321-337
  •  Carlos Ascenso André, "Bula Quae pro bono pacis, do Papa Júlio II, com a confirmação do Tratado de Tordesilhas (tradução)" in Comemorações do V Centenário do Tratado de Tordesilhas na Santa Sé. Lisboa, 1994
  •  Carlos Ascenso André, «Amparo Gaos Schmidt, Cicerón y la elocuencia. México, Universidad Autonoma de México, 1993», Humanitas. Coimbra. 46 (1994) 436
  •  Carlos Ascenso André, «Cristóvão de Aguiar, Passageiro em trânsito. Lisboa, Salamandra, 1994», Jornal de Leiria. (1 de Setembro de 1994) 21
  •  Carlos Ascenso André, «A cidade que ressurge da memória": texto crítico sobre José Ribeiro Ferreira, Variações em torno de Síbaris. Coimbra, Minerva, 1994», Jornal de Leiria. (7 de Abril de 1994) 21
  •  Carlos Ascenso André, «Sementeiras de tristeza: Cícero, precursor das lágrimas ovidianas», Humanitas. Coimbra. 45 (1993) 155-192
  •  Carlos Ascenso André, «Colóquio sobre "As línguas clássicas: investigação e ensino"», Boletim de Estudos Clássicos. Coimbra. 19 (Junho de 1993) 96-98
  •  Carlos Ascenso André, «Mário Cláudio, Tocata para dois clarins. Lisboa, Dom Quixote, 1992», Letras & Letras. (15 de Maio de 1993)
  •  Carlos Ascenso André, "Apresentação" in As Línguas Clássicas: Investigação e Ensino. Actas. Coimbra, 1993. P. 181-187
  •  Carlos Ascenso André, «Carta de D. Manuel ao Imperador Maximiliano (trad. do latim)», Oceanos. 16 (1993) 30
  •  Carlos Ascenso André, "Luz e penumbra na literatura humanista dos Descobrimentos" in Congresso Internacional Humanismo Português na Época dos Descobrimentos: Actas. Coimbra, 1993. P. 217-256
  •  Carlos Ascenso André, «José Ribeiro Ferreira, Ficta imagem, Coimbra, Minerva, 1982», Letras & Letras. (17 de Setembro de 1992)
  •  Carlos Ascenso André, Mal de ausência: o canto do exílio na lírica do humanismo português, Coimbra, 1992
  •  Carlos Ascenso André, M. H. R. Cunha, "A voz do poeta: epifonemas em Os Lusíadas" in Miscelânea de Estudos em Honra do Prof. A. Costa Ramalho. Coimbra: Instituto Nacional de Investigação Científica, Centro de Estudos Clássicos e Humanísticos da Universidade de Coimbra, 1992. P. 503-530
  •  Carlos Ascenso André, Latim I (Língua e Cultura ): valor — métodos — programa — bibliografia, Coimbra: Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, 1992
  •  Carlos Ascenso André, A Eneida em contraluz, Coimbra: Instituto de Estudos Clássicos, 1992
  •  Carlos Ascenso André, Um judeu no desterro: Diogo Pires e a memória de Portugal, Coimbra, 1992
  •  Carlos Ascenso André, «Na hora de passar o testemunho. Homenagem ao Prof. Doutor A. Costa Ramalho», Boletim de Estudos Clássicos. Coimbra. 18 (Dezembro de 1992) 115-117
  •  Carlos Ascenso André, «Luz e penumbra na literatura Humanista dos Descobrimentos», Humanitas. Coimbra. 43-44 (1991-1992) 217-256
  •  Carlos Ascenso André, "Um Itinerário (antigo) até uma nova Casa (do Pó)" in Actas do Segundo Congresso da Associação Internacional de Lusitanistas (Leeds, 9-15 de Julho de 1987). Coimbra, 1991. P. 191-214
  •  Carlos Ascenso André, "Saudade humanista: poemas de despedida em latim na Universidade dos séculos XVI e XVII" in Universidade(s), História, Memória, Perspectivas. Actas do Congresso. Coimbra, 1991:vol. IV. P. 99-109
  •  Carlos Ascenso André, «Uma planura ressequida: Ovídio e a poética do exílio», Biblos. 67 (1991) 77-101
  •  Carlos Ascenso André, Mal de ausência: o canto do exílio na lírica novilatina do século XVI, Coimbra, 1990
  •  Carlos Ascenso André, «Humanismo português, objecto de seminário em Paris», Humanitas. Coimbra. 41-42 (1989-1990) 239
  •  Carlos Ascenso André, «Diogo Pires e a lembrança de Erasmo», Humanitas. Coimbra. 41-42 (1989-1990) 81-98
  •  Carlos Ascenso André, «George Hugo Tucker, The poet’s Odyssey: Joachim du Bellay and the Antiquitéz de Rome», Humanitas. Coimbra. 41-42 (1989-1990) 274
  •  Carlos Ascenso André, «Tommaso Fiore, Dal Virgilio alla poesia d'Ovidio. Premessa di Paolo Fedelli, Manduria-Bari-Roma, Piero Lacaita Editore, 1987», Humanitas. Coimbra. 41-42 (1989-1990) 273
  •  Carlos Ascenso André, «Paris: Humanismo português em debate», Boletim de Estudos Clássicos. Coimbra. 11 (Junho de 1989) 135-136
  •  Carlos Ascenso André, "Diogo Pires, um símbolo na diáspora lusitana" in Actas do I Congresso da Associação Internacional de Lusitanistas. Poitiers, 1988. P. 49-63
  •  Carlos Ascenso André, «Julia Kristeva, Étrangers à nous-mêmes. Paris, Fayard, 1988», Humanitas. Coimbra. 39-40 (1987-1988) 344
  •  Carlos Ascenso André, «José Augusto Cardoso Bernardes, O Bucolismo português: da égloga do Renascimento ao Maneirismo. Coimbra, Livraria Almedina, 1988», Humanitas. Coimbra. 39-40 (1987-1988) 345-346
  • Carlos Ascenso André, «O português como língua segunda: um desafio que importa vencer», Revista da Educação. Macau. 3 (Maio de 1986) 20-25
  •  Carlos Ascenso André, «Diogo Pires, Antologia poética — a propósito de uma recensão crítica», Revista da Universidade de Aveiro – Letras. 2 (1985) 471-488
  •  Carlos Ascenso André, «O nu: o tratamento em Os Lusíadas de um tema renascentista», Revista da Universidade de Aveiro – Letras. 1 (1984) 193-212
  •  Carlos Ascenso André, "A dimensão visual da épica camoniana" in IV Reunião Internacional de Camonistas. Actas. Ponta Delgada, 1984. P. 61-70
  •  Carlos Ascenso André, Um poeta no exílio: Portugal na obra de Diogo Pires, Coimbra, 1984
  •  Carlos Ascenso André, «Morte e Vida na Eneida», Humanitas. Coimbra. 35-36 (1983-1984) 105-148
  •  Carlos Ascenso André, Diogo Pires, Antologia poética. Introdução, tradução e notas, Coimbra, 1983
  •  Carlos Ascenso André, «Os Lusíadas, poesia e pintura: políptico, uma das categorias plásticas da epopeia camoniana», Revista Camoniana (2ª série). 5 (1982-1983) 11-37
  •  Carlos Ascenso André, «Uma Biblioteca com Livros Seculares», Humanitas. Coimbra. 33-34 (1981-1982) 219-228
  •  Carlos Ascenso André, "BARREIROS (Gaspar)" in Biblos - Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa. Lisboa
  •  Carlos Ascenso André, "PIRES (Diogo)" in Biblos - Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa. Lisboa
  •  Carlos Ascenso André, "PINHEL (Bento)" in Biblos - Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa. Lisboa
  •  Carlos Ascenso André, "PIMENTA (Álvaro)" in Biblos - Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa. Lisboa
  •  Carlos Ascenso André, "PANTALEÃO de AVEIRO (Frei)" in Biblos - Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa. Lisboa
  •  Carlos Ascenso André, "OVÍDIO Nasão (Públio)" in Biblos - Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa. Lisboa
  •  Carlos Ascenso André, "LAWTON, (Ronny A.)" in Biblos - Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa. Lisboa
  •  Carlos Ascenso André, "CAIADO (Henrique)" in Biblos - Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa. Lisboa
  •  Carlos Ascenso André, "ROIG (Adrien)" in Biblos - Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa. Lisboa
  •  Carlos Ascenso André, "BARROS (João)" in Biblos - Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa. Lisboa
  •  Carlos Ascenso André, "PIRES (Vasco)" in Biblos - Enciclopédia Verbo das Literaturas de Língua Portuguesa. Lisboa
© University of Coimbra · 2009
Portugal/WEST GMT · S:
Símbolo de Acessibilidade à Web.Loja VirtualAviso LegalComentáriosContactosMapa do Sitevoltar ao topo
POS_C FEDER
Boas Praticas