Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Princípios FAIR

Os Princípios FAIR foram publicados em 2016 com o objetivo de fornecer um guia para a gestão de dados de investigação. A implementação dos Princípios FAIR no acesso aos resultados da investigação faz parte do ecossistema da Ciência Aberta.

O desenvolvimento do acrónimo revela-nos os quatro princípios FAIR para os dados de investigação:

1. Findable (Localizáveis)

Para tornar os dados localizáveis, é recomendado:

1.1. A atribuição de um identificador único persistente aos (meta)dados;

1.2. A descrição dos dados com metadados pormenorizados.

1.3. O registo ou a indexação dos (meta)dados num recurso pesquisável.

1.4. A inclusão do identificador nos metadados.

2. Accessible (Acessíveis)

Tornar os dados acessíveis significa que:

2.1. Os (meta)dados são recuperáveis através do seu identificador, mediante um protocolo de comunicações normalizado.

2.1.1. O protocolo de comunicações é aberto, gratuito e universalmente implementável.

2.1.2. O protocolo de comunicações permite um procedimento de autenticação e autorização, quando necessário.

2.2. Os metadados permanecem acessíveis, mesmo se os dados já não estiverem disponíveis.

3. Interoperable (Interoperáveis)

Os dados serão interoperáveis se:

3.1. Os (meta)dados usam uma linguagem formal, acessível, partilhada e de ampla aplicabilidade para a representação do conhecimento.

3.2. Os (meta)dados usam vocabulários que seguem os princípios FAIR.

3.3. Os (meta)dados incluem referências qualificadas a outros (meta)dados.

4. Reusable (Reutilizáveis)

Assegurar que os dados são reutilizáveis significa que:

4.1. Os (meta)dados têm uma pluralidade de atributos precisos e relevantes.

4.1.1. Os (meta)dados são disponibilizados com uma licença clara e acessível de uso dos dados.

4.1.2. Os (meta)dados são associados à sua proveniência.

4.1.3. Os (meta)dados cumprem normas relevantes da comunidade disciplinar.