Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de utilização. Ao navegar aceita a política de cookies.
OK, ACEITO

Movimentos estudantis em Coimbra: entre 1969 e 1974 | Ciência às Seis (online)

18 de Novembro - 18h
4 novembro, 2020
Movimentos estudantis
Movimentos estudantis

Dia 18 de Novembro, às 18h, realiza-se via Plataforma Zoom, a palestra inserida no ciclo "Ciência às Seis" intitulada "Movimentos estudantis em Coimbra: entre 1969 e 1974" com João Gouveia Monteiro, professor da Faculdade de Letras e director da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra e Rui Bebiano, historiador, professor da Faculdade de Letras e investigador do Centro de Estudos Sociais Universidade de Coimbra. A palestra será moderada por Carlos Fiolhais, director do Rómulo.

Sessão inserida no ciclo Ciência às Seis online, iniciativa do RÓMULO - Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra, coordenado por Carlos Fiolhais e António Piedade.

Destinada ao público em geral, a sessão é de participação livre e não necessita de inscrição. No fim da apresentação dos oradores, os participantes poderão colocar questões, fazer comentários, etc.

RESUMO DA PALESTRA:

Entre 1969 e 1974 agudizaram-se as tensões dentro da Universidade de Coimbra. Em 1970, no ano seguinte ao das grandes lutas estudantis que eclodiram a 17 de Abril de 1969, tomou posse o novo reitor, o professor da Faculdade de Medicina José Gouveia Monteiro, nomeado por José Veiga Simão, o professor de Física de Coimbra que ocupava a pasta da Educação Nacional. Vinha ocupar o lugar de um professor de Química, da Faculdade de Ciências, António de Andrade Gouveia. J. Monteiro aceitou o cargo pensando ser possível ser o representante da Universidade no governo e não o representante do governo na Universidade. O primeiro-ministro Marcello Caetano logo lembrou o novo reitor que quem mandava era o governo. Na sequência de um processo que o governo levantou relativo às relações entre o reitor e a Associação Académica, levou à demissão do reitor em 1971, substituído por João Cotelo Neiva, professor de Ciências da Terra da Faculdade de Ciências, Gouveia. João Gouveia Monteiro falará sobre um livro de memórias do seu pai, que está no prelo, que descreve o que se passou naqueles anos. Por seu lado, Rui Bebiano descreverá as lutas estudantis, que ele tem estudado.

BIOGRAFIAS SUMÁRIAS:

João Gouveia Monteiro é professor de história antiga e medieval na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, onde ensina História da Antiguidade e da Idade Média, História Militar e História das Religiões. Doutorou-se em 1997, com a obra “A Guerra em Portugal nos finais da Idade Média”. Os seus estudos mais recentes incidem sobre as Cruzadas na Terra Santa, a tratadística militar romana, a história militar da Península Ibérica e da Europa medievais, o Império Bizantino e a figura do Condestável D. Nuno Álvares Pereira. É o actual Presidente da Associação Ibérica de História Militar (séculos IV-XVI) e director da Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra.

Rui Bebiano é historiador, professor de história contemporânea na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, investigador do Centro de Estudos Sociais e diretor do Centro de Documentação 25 de Abril da Universidade de Coimbra. Tem dirigido cadeiras, cursos e seminários no domínio da história política e cultural moderna e contemporânea. Trabalha em temas de história cultural e política desde os anos 50 à actualidade, em particular no campo das construções utópicas, das práticas de “exclusão” e das representações contemporâneas do passado. Publicou em 2003 “O Poder da Imaginação: juventude, rebeldia e resistência nos Anos 60" e em 2006 "Anos Inquietos: vozes do movimento estudantil em Coimbra (1961-1974)”, em co-autoria com Manuela Cruzeiro.

Evento no Facebook